sábado, 20 de novembro de 2010

Redenção, parque da minha vida!


Dos primeiros passos a grandes caminhadas. Das primeiras pedaladas até altas voltas de bicicleta. Passeios com a família, com amigos, namoros. Contemplação das belas paisagens, as árvores antigas e grandiosas, o lago, com seus pedalinhos, o espelho d'água refletindo as imagens, a fonte, o chafariz, o monumento ao expedicionário, e muito mais, tudo lindo de se ver e muitas vezes fotografado. Os eventos no Araujo Vianna. O parquinho com seus brinquedos. As pessoas passeando ou fazendo esportes, bebês e crianças curtindo o ar puro e o canto dos pássaros, cachorros se esbaldando. É tudo muito legal! Me dá paz e alegria passear na Redenção. Mesmo sabendo que à noite o parque se torna sinistro. Mesmo sabendo que nos finais de semana ele lota e fica intransitável. Gosto que seja assim. O parque incorpora muitas facetas humanas e sociais. 

E digo que é o parque da minha vida por tudo isso. E porque agora, na minha recuperação, em Acompanhamento Terapêutico com o Marcelo, tem sido o lugar mais frequente de passeios, caminhadas e conversas junto à natureza.
Me faz muito bem ir ao parque da Redenção. (Mas por enquanto ainda não me animo a ir sozinha).

2 comentários:

  1. Essa foto, no lago, fui eu que bati.

    ResponderExcluir
  2. Já faz um tempo que tenho ido ao parque sozinha. Desde que suspendemos o Acompanhamento Terapêutico e passamos para a Psicoterapia, em junho de 2011. Faço caminhadas, às vezes sento em um banco e fico só observando, às vezes fico lembrando das minhas muitas e diversas idas ao parque. E agora, que estou com a máquina digital, vou recomeçar a fotografar.

    ResponderExcluir